Segunda, 18 Janeiro 2016 19:41

Famosa Ruta 40 - Argentina.

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)
Glacial Perito Moreno Glacial Perito Moreno Conhecer é Preciso

Famosa Ruta Nacional 40 na Argentina

Cruzamos a fronteira pela Cordilheira de Entre Lagos em direção a região turística de Bariloche. A linha imaginária que divide os países é o “divortium aquarum”, expressão latina que significa divisória de águas. O amigo motorhomeiro - Daniel Sziapelis - ensinou-me que a fronteira do seu país com o Chile é marcada a partir das nascentes d’aguas na Cordilheira, traçando linha reta entre elas, assim nasce a linha imaginária Andina, tendo a muralha da Cordilheira como fronteira natural. “La tierra que divide água” as fontes que originam os rios que vão desaguar no leste, Argentina, e no oeste, Chile, é a fronteira que passamos várias vezes nesta viagem, deixando lembranças na memória e marcas de carimbos nos passaportes. 

Passamos pela cidade de Angustura onde vimos o pequeno rio que liga dois grandes lagos, onde se pesca o Salmão. Chegamos a cidade mais européia argentina, a badalada  Bariloche! Muitos turistas, preços altíssimo e um calor intenso que não lembrava em nada a Suíça. Fomos recebidos na Iglesia Bautista de Bariloche pelos amados irmãos - Ariel, Agostina e Juan. Partilhamos da comunhão no culto de oração e depois fomos dormir na garagem dos pais de Agostina.

Na manhã seguinte, depois de conhecer e tirar algumas fotos da encantadora cidade com seus grandes grandes lagos e vista para a Cordilheira com neve, ainda que estivéssemos no verão. Imaginei este cenário no inverno, ai sim, torna-se-a com a neve, a “Suíça de la  América del Sur”. 

Rumamos para o sul, pela famosa Ruta 40! A cada fim de tarde ela nos brindou com paisagens ricas em cores, nuvens estupendas, raios de sol multicoloridos dando brilhos a imensidão do céu. Diria que vi entardecer inesquecível que ficou registrado em videos e fotos, para quando, tudo isso, só for lembranças!

Chegamos na cidade de Esquel, já nos esperava na Iglesia Bautista da cidade, o pastor Pedro Boresky, onde participamos do culto de oração e depois fomos ser seus hospedes. Descansamos por dois dias, lavamos as roupas, conversamos muito sobre como temos visto a Igreja do Senhor mundo a fora. Tempo de refrigério e informações! Obrigado irmãos Pedro e Noemi pelo carinho que nos acolheram em sua casa em Esquel, inesquecível!  

Seguimos para a cidade de El Calafate, onde pela primeira vez pegamos a temível estrada de “rípio”. Foram 35 km de pedras soltas, contudo, o Casulo móvel resistiu bravamente e chegamos ao destino - Glaciares Perito Moreno.

Para entrar no Parque Nacional Los Glaciares, paga-se cento e cinquenta pesos argentinos por pessoa, em torno de quarenta reais, dependendo do cambio. Vale a pena! Estivemos a beira das geleiras, com sua beleza imponente e vento gelado. Passeio imperdível, o Parque é muito bem cuidado e com boa estrutura, pena que não é permitido passar a noite acampado, este é o seu ponto negativo.

Mas o espetáculo é a geleira, conhecida como Glaciares Perito Moreno, montanha de gelo em movimento, que quando não se vê paredões de gelo desabando, constantemente ouve-se estrondo de desmoronamento de blocos imensos de gelos sobre as águas, um espetáculo para se ver e ouvir. 

O glacial é uma grande massa de gelo em movimento. Se forma em zona alta e fria, onde a neve e se acumula por anos e anos. O acumulo é tão grande, que seu próprio peso comprime a neve mais profunda, compactando em uma massa sólida de gelo.

A dimensão do Glacial Perito Moreno é de 5 Km de largura, 70 metros de altura e 160 de profundidade. O Glacial é a natureza no seu esplendor! 

Depois, continuamos pela Ruta 40, até o seu final na cidade de Rio Gallego. Despedimos dos seus encantos e pegamos a Ruta 3, que nos levará a Tierra del Fuego, Patagonia del fin del mundo, no final dos seus 3.079 km, Ushuaia!

 

 

Lido 5578 vezes Última modificação em Quinta, 23 Março 2017 11:06

Fotos